#206 - De 1 a 0 - Rubens Filho - Conto um Conto

by: Conto um Conto

Download this transcript

Transcript:

[0.74]
[Música] conta um conto apresenta de rubens filho de 1 a 0 a ração marcelo falou em números desde cedo aprendemos a contar quando criança parece sempre um adulto desconhecido pra perguntar o nosso nome a idade que temos na idade às vezes a palavra que nos denomina para homenagear algum ancestral querido o que foi escolhida de um livro antigo fica presa na garganta acanhamento e vergonha perante estranhos emudece os tímidos o parente que estiver por perto da resposta em resgate mas quantos anos se tem não podem ser respondidos por mais ninguém é um teste de inteligência nesse momento surgem os dedos que são de grande ajuda neste momento gesticulamos desajeitadamente a quantidade e vocalizando sothen tempo que estamos expostos sob a luz da vida noção do que é um ano ainda é pouca um monte de dias que se juntam para formar um mês que por sua vez se acumulam para que mais um dedinho suba e se enfileira e com os demais as horas é uma magia diferente rápida demais para a nossa compreensão infantil captar a inexorabilidade no movimento do relógio mas tudo se reúne aos números aprendemos a desenhá los cada ângulo cada ângulo valor quantos mais traços se entrecruzam a quantidade que simbolizam aumenta um ponto porém são poucos e básicos alinhado só chegam ao infinito na repetição dessas algarismos contando com os erros é claro nas operações matemáticas e seus desdobramentos intrincados é um jogo de apenas dez peças qualquer outra figura o traço tem a mera função de potencializar e organizar o número associado e olha eu não sou entendido em áudio é da escola eu só lembro que pierre é 3,1 seguido de 4 que é seguido de um novamente e assim vai tem algo de álcool relacionando com um calcular o raio de um círculo deve ser isso nunca precisei fazer essa curta mas sei da importância dos números o que vou contar que não é por coincidência significa tanto calcular como narrado e algo que decide hoje pela manhã assim que pulei da cama e pisei no chão gelado lembrei me de que não tinha nada pra fazer nenhum lugar para ir sem compromissos ou urgências normalmente voltaria me deitar e ficar remoendo alguns planos para me ocupar pelo resto do dia um detalhe porém dissipou toda a letargia matutina da minha mente e foi muito claro o significado era bem definido nada de imagem para outras interpretações sobre no ato e de um suspiro de alívio na parede do meu quarto ao lado do guarda roupa a luz do sol que infiltrava pela brecha da janela desenhava o numeral 11 de formar um garrafal e perfeita é o meu último dia de vida então 3m e fui ao banheiro o segundo passo agora que é quando realmente se começa a caminhar coloca se em movimento do basquete dar um passo não é andar desde que o pé de apoio não sair do chão o primeiro passo está mais pra se preparar para pensar e tomar uma decisão pouco no próximo lance e eu vou organizar os meus documentos deixar tudo pronto em ordem claro pra quem precisar deles depois do evento de hoje é claro papéis que todos têm os meus números e e as classificações também é registros para o governo e fazer acreditar que exista em algum grau de importância o indicativo para as estatísticas que me atribuem obrigações e direitos é claro todos os documentos estão guardados numa pasta amarela e se nos boletos pagos dos últimos anos também estão nela nunca se sabe se o erro do sistema não vai querer duplicar uma cobrança já paga o meu nome está limpo no comércio nunca tive problemas financeiros não tenham gostos refinados tem nem se incomoda se sempre foi um verdadeiro chato nessas questões prático de mais supérfluo sempre me irritou alguém me mostrava qualquer novidade tecnológica ou vestimenta ea pergunta que cair rapidamente da minha boca era pra que serve isso ou não podia comprar algo mais útil com o passar do tempo aprendi a controlar melhor essas inscrições é o sorriso amarelo virou minha arma defensiva todas as bobagens que diziam e eram tantas eu exibir a fileira superior dos dentes é doce um pouco o rosto e não falava nada começaram a achar que eu era muito retraído que estavam meio estavam errados na verdade eu só não tinha muita paciência para isso uma irritação disse que eu possa me lembrar circula no interior da minha cabeça como uma leve corrente elétrica e assim está curto certidão de nascimento original e bem conservado um papel com quase 35 anos batido a máquina de escrever e carimbando o hospital onde eu nasci nem existe mais a carteirinha de vacinação nunca tomei uma injeção preventiva da primitiva das novas epidemias que acabaram sendo casos isolados carteira de trabalho 30% preenchida tive poucos trabalhos antes de estabelecer uma nova profissão a foto do meu se a emi que é a certidão de alistamento militar é a única que tirei na vida usando um terno título de eleitor democracia que obriga a votar uma contradição antes tinha-se classic que hoje é o cpf a maior seqüência numérica que nos acompanha por toda a nossa vida tem gente que a decorar a registrar as compras que fazem saber dizem que recebem um pequeno retorno e também combate acenar sonegação de impostos é é possível mas nunca me interessei 100k sem carteira de habilitação e último e mais importante o registro geral o meu rg é uma segunda filha eu fui assaltado fiz melhor para refazer o documento em nome da mãe nome do pai data de nascimento localidade digital é mais bonita que a foto claro sempre é tudo conferido vou deixar os papéis em cima da cama eu acho que eu vou trocar o lençol ea fronha final né e depois jogar fora sujas e livrar me ei também de todas as roupas por lavar não vou deixar nada para ninguém fazer por mim depois que tiver morrido pensando nisso e seria bom que eu cortasse as unhas é fazer a barba também seria legal e tomar um banho demorado né o último dia de vida não é um qualquer dia porque simplesmente não se pode mais adiar as coisas não é verdade hoje ela terça-feira o dia realmente efetivo prass começar os assuntos importantes muitos elevem a segunda para iniciar os planos melhoramento pessoal depois de um fim-de-semana pecaminoso onde se comeu bebeu falou demais e atentou contra a própria carne a mente se afunda na culpa remorso e ressaca porém o primeiro dia útil da semana é para sofrer as consequências dos jazidos cometidos na véspera e antevéspera o sol machuca os olhos qualquer som por menor que seja parece uma agulhada no cérebro fechado o corpo dolorido hematomas e machucados que nem se lembra onde conseguiu perceber que perdeu uma das coisas e danificou outras as dívidas que aumentaram na segunda-feira se calcula um prejuízo nenhuma decisão deve ser tomada um dia de dor de cabeça apenas sofrimento e torcida para que as horas passarem o mais rápido possível depois do banho ligou o computador momento de sumir com todo o vestígio de identidade virtual que eu possa ter eu não sou entusiasta das redes sociais as usava por necessidade de prova apenas o trabalho mesmo mas acabou expandindo para o lazer é um vício pernicioso que vai aumentando a cada link me post cíclica comentários cut das críticas e notei sá o conteúdo visualizado em algum homem de uma força meu briga corrigir a colaborar e repassar uma notícia e essas participações viram dados que dão essa é uma ideia precisa da nossa personalidade gostos preferências hábitos em mãos certas essas informações dadas à simplesmente são como cordas invisíveis que puxam nos e nos fazem dançar sem perceber propaganda as coisas que queremos mas não podemos pagar esbarrar em opiniões que adivinha o que estamos pensando coincidência que não nos ritmos e esses números bem calculados para atingir o público alvo passei a manhã toda caçando os sites que têm o cadastro deletando cada contra onde minha senha é da avaliação que era sempre simples mais difícil de descobrir estava registrada na última que era do meu primeiro e mail minha mão tremeu aquele era o endereço de resgate de tudo apagando e a ser trabalhoso fazer tudo de novo seria quase um recomeço mas balancei a cabeça e afastem decisão chega de começar de novo eu estou cansado o celular também não vai a lugar em mais nada restaurar para a configuração de fábrica os meus arquivos que estão na gaveta também vão desaparecer as obras que são poucas na verdade mais escaneamentos de imagens de infância aquelas músicas descartáveis gigas e magias de filmes documentários variados em pdf word alguns games que tem que jogar e nunca chegaram a me divertir de verdade problemas de aplicativos e utilidade momentânea eu vou começar a formatar o seu o e não terminar e de instalar o sistema operacional cancelar e deixar em branco o disco rígido zerado outros dispositivos como cartão de memória e pen drives serão limpos todo metódico tudo organizado não quero esquecer nada mas quero ser esquecido afinal o ato final pode durar um pouco mais o imaginário do povo alguma movimentação de mensagens entre pessoas que sabiam que eu quem eu era nada muito além disso estou tentando não deixar rastros sobre o motivo do qual me levou a fazer o que eu pretendo fazer e que se já então um mistério deixei meu quarto aberto normalmente trancou a porta quando sai eu moro com a minha mãe voltei pra casa dela quando o meu jovem matrimônio deixou de funcionar testemunhas na hora do compromisso assinado no cartório sorrisos constrangidos e o desejo verdadeiro que aquela bobagem de mesmo teto possa ser pelo menos satisfatório num prazo mais ou menos longo que ingenuidade ter esse tipo de esperança claro pessoas mudam e cobram compensações sobre as diferenças do que foi acertado não era isso nessa vida que tinha prometido um ao outro ninguém admite que o casamento seja um produto como qualquer outro que tenha traços de qualidade quando os dois itens da mistura são de boa qualidade a receita é simples as chances de durabilidade são maiores mesmo em ambientes insalubres ou impróprios o ingrediente que seja minimamente abaixo do padrão do outro vai ajudar a liga com o tempo o desequilíbrio químico puramente não vou enumerar as brigas por besteira as trocas de palavras ácidas e as disputas para vencer um discussão rede e relevante na verdade na verdade quando o silêncio ressentido ea solidão a 2 deixou de ter graça juntei o que dava algum valor e passei pela porta mas antes de partir em definitivo com as minhas últimas coisas numa caixa de papelão dele um beijo na testa ela não se esquivou em lágrimas escorreram dos seus olhos escuros a grade se pelos bons momentos que passamos juntos nunca mais me comuniquei por nenhuma via com ela acho bem eu acho que ela não vai surpreender muito com a minha ação de hoje talvez ela apareça aqui na minha casa mas na casa da minha mãe na verdade mais tarde descobre a cama uma cópia da certidão de casamento e do divórcio com o resto dos meus documentos fecho sempre a chave 4 por causa das minhas irmãs que são quatro duas gêmeas ou todas as bilheteiras querem saber de tudo e perguntam tudo eu sou o mais velho sim não tenha todo o conhecimento do mundo também precisa seguir o meu caminho e tentar esclarecer as minhas dúvidas mas elas não me deixavam em paz poucos sabem o que é o inferno feminino o mundo desde cedo com gritos estridentes e muita falação entregas e competição por atenção xampus e roupas largadas em qualquer lugar e cabelos fios de cabelos em tudo no sofá tinha cabelo da mesa de cozinha tinha cabelo na pia do banheiro e flutuando no ar tinha cabelo as ferramentas para tentar domar esses pêlos longos rebeldes são verdadeiros instrumentos de tortura medieval ferro de fogo escova de aço aparelhos fornecedor de ar quente meu pai não passou muito tempo nessa masmorra de risinhos choros histéricos e pedidos absurdos teve um acidente fatal na firma que trabalhava no acordo a indenização foi um quarto do que deveria ser pago mas com quatro meninas para criar a urgência de recursos financeiros cota burocracia valor injusto mas imediato não chegou a faltar gravemente alguma coisa pra mim e para as minhas irmãs da infância minha mãe tem pulso firme muita paciência é a vida ela repetir para tudo perdeu é a vida ganhou é a vida assim que aparece com cara de coitado e umas malas precisam de um lugar para morar ela é mulher baixa ou tudo diferenciam naquela feição de sei de tudo e não me fale nada apenas disse o seu sábio bordão que me acolheu é a vida hoje só uma das gêmeas vive realmente aqui as outras três casaram mas estão sempre na cozinha da minha mãe ou uma está grávida os últimos meses ea outra menina que vem por aí né parece que odeia as minhas irmãs ou as mulheres em geral se está longe da verdade e que é exaustivo viver no dia-a-dia roteadas por elas não havia espaço à perturbação e preocupação aumentar ainda mais com a morte do meu pai e esse negócio de homem da casa é um título figurativo sem poder real eu falava e elas não escutavam eu mandava e elas não obedeciam e quando eu não interferia era acusado de displicência tinha momentos que achava graça é e outros me irritavam muito raro era complicado amor fraternal tem altos e baixos mas não desliga elas nunca realmente precisarão da minha proteção nem física nem emocional já havia gêmea sair na porrada com o grupo formado de meninas e meninos perderam a luta na pesagem com da peta da contagem de pontos falei pra minha mãe e se sabe que ela falou admin é a vida sinto saudade telas como qualquer pessoa sente saudades de certas partes da própria infância não é aquela coisa esmagadora digo que algumas memórias podem alegrar um desfecho o uso do que não sentirem falta nenhuma é de cunhado cunhado não é parente cunhado não é nem enchente há cinco dias e engorda estatística do desemprego do país fui despedido no final do expediente as justificativas eram as mais genéricas possíveis estruturação da empresa enxugamento do orçamento a a contratação de nova especializada mão-de-obra veja bem a automatização do trabalho veja bem terceirização dos diversos serviços veja bem aumentar os lucros e diminuir os gastos eu estava forçosamente liberado para encontrar novas oportunidades e passar bem o meu trabalho era chato e repetitivo claro quase maquinal e não exigia nenhum talento em especial um pouco de concentração inicial era para marcar o ritmo estava pronto para algumas horas seguidas de testes e fiações elétricas e cabos de transmissão eu era eletricista de manutenção de data center ou melhor eu sou pois a demissão não apaga a profissão de ninguém eu não tenho orgulho nenhum de de nenhum tipo de estímulo esse sentimento na minha concepção é a base para todo o comportamento execrável que uma pessoa pode ter sempre usando um detrimento pouco velado do que o principal posto orgulho de ser homem orgulho de ser mulher orgulho de ser negro orgulho de ser branco orgulho de ser heterossexual homossexual orgulho de ter nascido num estado brasileiro específico orgulho de acreditar em deus seguindo ou não uma orientação religiosa orgulho fundamenta preconceitos e saltar atos e pensamentos e traços físicos que deveriam ser considerados comuns é extremamente crítico vai dar de humildade são demonstrações estão claros na minha cabeça de ignorância que quando vejo isso em alguém a minha reação que tentou tem que sufocar mas nem sempre consigo a gritar um palavrão não de raiva mas de forte invado eu não sou platéia para falsidades ou representações de grandiosidade da alma de ninguém tudo isso digo apenas para mencionar que eu era um bom funcionário somente lutado curricular não faltavam sequer atrasado algumas vezes estava resfriado e ainda assim ia trabalhar nunca reclamei e nem participei de abaixo assinado que reivindicar qualquer coisa leva o piso da categoria a carbonária não era excessiva assim como já disse é um serviço bem simples que executava usando do metade no cérebro a outra metade não ficar ociosa claro que não estava processando dados antigos e novas informações procurando entender e assim melhorar a minha triste vida estava cumprindo aviso prévio em casa ainda tinha o meu crachá aí possivelmente poderia circular pelos ambientes da empresa com uma boa desculpa não seria barrado na entrada atrair alguns olhares de comiseração dos que soubessem do meu recente desligamento da firma alguma conversa mole eu teria que agüentar quando o pânico ea correria começassem acho que ninguém vai dar pela minha falta muito menos imaginariam que eu seria o responsável direto pelo desastre meia dúzia de bem são encontrados com todo o começo de em casa mesmo quando a medida nacional passou de unidade para peso sempre foram seis benzidos quentinho o fiozinho mais moreno ou mais branquinho grande carrasco do pequeno só me olho cada habitante da casa ficava com um para comer de café da manhã - o meu pai que não gostava de pão café bem doce bastava pra ele mesmo após a saída de mais da metade dos membros familiares a quantidade comprada permaneceu a mesma era cedo pra mim irmã a outra gêmea se levantar e minha mãe possivelmente tinha ido à igreja melhor assim a sair se encarar ou responder qualquer pergunta de ninguém o saco de pão intocado já estava em cima da mesa não tinha café pronto coloquei água para ferver em pouca água para ser rápido abriu uma caixa nova de coador de papel isso lembrou da minha escolher ela tinha dificuldade em abrir corretamente qualquer embalagem bucha caixa de leite pacote de biscoito copo de iogurte pote de margarina não cortava na linha pontilhada e deixa a umidade do papel alumínio de vegetação na borda do plástico isso é da pressa o desleixo dela eu nunca perguntei na verdade apenas corrigir a abertura acho que ela nem nunca notou lembrasse de coisinhas assim mostra a vida medíocre que eu tinha que eu tenho na verdade está gay seguindo perfeitamente pontilhado do papel fino da caixinha e dobrei as pontas do coador descartável coloquei o pó preto até um pouco abaixo da metade e derramei água quente gosto mais do cheiro do que do gosto café tomava mais por ritual sabe eu não sentia fome mas comi o pão puro e um só o que me cabia depois que terminei na veia caneca e usei que eu usei bebi água na mesma depositei no escorredor gesto assim esses gestos são banais mesmo o tempo verbal pretérito perfeito em todos os movimentos o que acabou de fazer sem perceber e sem cometer erros já esquecido porque porque não causou nenhum problema mas hoje faço isso com atenção quase metodicamente em captar algo além especial no sabor do pão morno no café extra forte no frescor da água mas não consegui tudo estava igual aos dias anteriores à mesmice e botou o sabor a diferença estava que era a derradeira vez que fazia aquilo isso não tornou a ocasião melhor as últimas coisas não são mágicas memoráveis por isso o que é o último só significa que depois disso acabou enfim antes de abrir a porta da rua bem é trouxa de roupa suja que ia jogar fora e olhei bem para a sala de estar onde minha família se reunia nos melhores dias para ver televisão ou quanto mais o aparelho televisivo precise modernizava mais espaço tinha no sofá pra sentar comparar o crescimento tecnológico com o afastamento físico entre os índios queridos não é de que o absurdo assistir ano tubo as novelas idiotas ao lado das minhas irmãs tagarelas minha mãe concentrava no seu tricô e meu pai conhecia os nomes de todos os personagens todas as tramas a essa nostalgia essa coisa me fez chegar à beira das lágrimas não só de saudade de um tempo simples ou de querer que essa época volte recente foi a dor do desperdício por inteiro acho que vocês têm por não ter aproveitado como deveria esses momentos meti a chave na fechadura da porta que não estava trancada e fui embora deixando a lá alguém poderia interpretar isso como um sinal maior do que o simples esquecimento até poderia futuro do pretérito uma dúvida do que está por vir calcado no que já passou havia contando comigo sete pessoas no ponto de ônibus todos conhecidos de vista mas eu não sabia realmente nome de ninguém e como um peso é comum que os usuários habituais transportes públicos se deparam frequentemente sem ter um relacionamento que vá além do aceno ligeiro bomba ao meu bairro da infância ele não existe mais a população em infraestrutura mudará os antigos vizinhos morreram e os descendentes assim que puderam foram embora todos civis há algo sobre isso de mudança dizem que a evolução da vida eu não concordo muito que diferença tem um lugar que se mora um participar bo não interage com o ambiente circunvizinho sempre evitando freqüentar o comércio local e os lugares de lazer dos arredores enfurnado dentro de apartamentos e de casas lacrados como jazigos e quando quer sair e entrar no carro enfrenta o trânsito vai para hipermercados caros shoppings lotados desde osos se o que precisa é um lugar para se esconder da luz do sol praticamente uma toca à antiga vila devia servir mas cada um sabe o trauma que a terra natal pode ter sido para mim até que foi tranquilo quando casei me não foi para muito longe ainda ia a mesma filha de rua no mercadinho da esquina que pra comparar o que de repente faltava em cortar o cabelo do mesmo parceiro andando pelas ruas conhecidas olhando de dentro do ônibus que circulava pelos bairros o caminho dos 100 da cidade receber bem a transformação eu como morador antigo percebo sabe a falta de alguns lugares e sinto estranheza e o deslocamento do que foi construído no lugar ali era um depósito de material de construções agora tem um galpão novo e fechado com uma placa de vende-se lojinha de dozes armarinhos bazares pequenas farmácias uma infinidade de barzinho sumiram uma olhadinha nas estreitas e cheias trigêmeas tomaram o terreno casas ancestrais substituídas por micro prédios falsa modernização do bairro e intimidadores muros altos existe uma verdadeira obsessão e acabar com os quintais de chão batido sabe jogar cimento em tudo árvore grama e sujeira o espaço disponível todo otimizadores estéreo na frente à garagem ampla com portão de aço de abril eletrônico nos fundos é que se uma casa com uma casinha com 4 estava para alugar a place salgado para os imigrantes ou alojar alguma jovem mãe solteira com filho pequeno um contato com o solo bonito para as novas gerações o cheiro da terra molhada vai ser esquecido vai oferecer o interesse nos insetos e não falo das moscas mosquitos e baratas é lula o pessoal euro o quilo sem plantas crescendo livremente o desdobramento das pequenas vilas como traduzir jadinho faz quantos anos que não fez um contato sim de jardim não estará mais ao alcance das crianças claro que não quando o ônibus chegou à estação final e eu nem tinha claramente na cabeça o momento que havia subido no coletivo é logicamente eu passei paguei a passagem sim mas também não gravei na memória mais esse gesto automático viajei duplamente melhor eu me concentrar daqui pra frente à rodoviária com seu fluxo constante de pessoas apressadas e impacientes dava a impressão que signora vão mutuamente ninguém olhava pra ninguém e eu olhava pra todos que assim por alguns minutos depois passei pela roleta de saída e segui o meu destino o meu destino final a senha na minha conta bancária têm oito dígitos parece que a impressão biomédica vai demorar para ser implementada pense no absurdo dos métodos de identificação usando ou usados nos filmes de ficção científica sabe aquele leitor leitor de retina o reconhecimento vocal facial análise instantânea de dna através de uma gota de sangue o fio de cabelo de saliva tudo pra abrir uma porta liberar o acesso a uma informação à chávez físicas e junto ou não a digitação de letras misturadas com inúmeros com aqueles números que pareciam serão conter um conceito arcaico e pouco seguro o futuro tecnológico imaginado os cavalos personalização máxima para os códigos nos associando indivíduos previamente autorizados uma mistificação de da garantia de segurança pois as mesmas histórias dava um jeito de contornar essas barreiras instituições bancárias gostavam de nome os e o que eles entendem são números fileiras e fileiras que se multiplicam entrosam se e geram porcentagem do lucro a partir da movimentação de capital em dinheiro pelo dinheiro valores que se possam ser valores que possam ser quantificados em papel moeda com câmbio estável confiável em longo prazo retirei o limite da minha conta sobrou apenas o suficiente para que meu nome não ficasse do milho último pagamento ainda não tinha caído esse seria até uma boa desculpa para entrar no prédio se meu pai se tiver sido revogado mas duvido que precise as compras agora no centro da cidade com lojas diversificada se espremendo nas ruas conseguiria todos os itens precisava pra ficar sem ficar indo e voltando não iria me importar com os preços comecei comprando uma mochila simples para carregar discretamente as coisas sacolas plásticas chama muita atenção e isso poderia citar perguntas no depósito adquirir um bom kit de ferramentas de uso comum sabe chave de fenda chave philips alicate de bico naquele decod um brilhante universal cabo amarelo chaves de boca de vários tamanhos martelo com cabo curto e uma faca curva para cortar fios tudo isso eu tinha guardado no meu armário nós não pretendia ir lá buscar podia encontrar gente e colocar em risco o meu intento quando menos quanto menos pessoas me vissem seria melhor em outra loja especializada em material de pintura comprei lados removedor sabe aquelas com a tinta altamente inflamável material bem perigoso vendido sem nenhuma restrição ao couro que apesar das tentativas do governo em diminuir o poder de combustão dos produtos de limpeza em geral ainda era fácil encontrar porém a embalagem é de pequeno volume não me serviriam também peguei um saquinho sabe aquele saquinho de estopa acho que já tinham necessário para o ato final os instrumentos os materiais e o conhecimento agora deixaria de um pouco de coragem entrei no mercado depois temos fila no guarda volumes e fiquei ali segurando a chave fortemente já tinha perdido uma dessas certa vez e foi trabalhoso conseguir os meus pertences que não era coisa muito importante de volta as explicações que sempre me levaram ficaram tão nervosos ficava tão nervoso ea irritação queimava por trás dos meus olhos como uma febre hoje eu não podia passar por uma situação dessas queijo provolone e eu comum em não dividir com ninguém é o tipo de prazer só é bom quando se aprecia sozinho cumprir o maior disponível há em todo o mercado um armário de vidro fechado que exibe saberia aquelas bebidas caras sempre tem que chamar o funcionário para abrir no então você pode explicar o que vai levar quando algumas garrafas custam mais do que uma cesta básica esse cuidado não é despropositado o robô a quebra do produto dá um belo xis uso não pestanejou ao agarrar o esqui 12 anos bem deixa eu não sou de bebida que bêbado poucas vezes na minha vida na ressaca se descobre se foi feito para aquilo e no meu caso presente não vai ter esse mal-estar no dia seguinte não pra mim última parada uma farmácia quando criança eu era irritadiço o médico da época receitou de leve o calmante aquilo me dava um som tá danado passado o tempo me estabilizei não tem mais remédio mas ainda me lembro do nome perguntei ao atendente ele não conhecia mesmo medicamento contudo uma leve pesquisa não a leve pesquisa e logo se descobriu o princípio ativo comprei o genérico que tinha a promessa de ação mais rápida e forte um pedido simples ea receita a mochila estava pesada mas nada chacoalhava tem passei por um vendedor ambulante que ofertava cintos camisetas e bonés eu nunca usei nada para cobrir a cabeça em relógios brincos ps ou qualquer outro adereço tatuagem que dava nem certo nojo se eu chegasse para sido terrorista de óculos escuros casaco moletom fechado e cabos o ridículo da situação iria se acentuar eu não quero que as conversas posteriores ao evento falem de como o parece esquisito quando entrei soturno intenso a maravilha da toda essa coisa e deixa todos com o porquê estampado na cara estampado em crédulos sabe que o espanto não vai encontrar as teorias pois nenhuma ser a justificativa suficiente o sol está mais alta agora iluminava toda a infraestrutura prepotente do prédio vidros espelhados cobrem o exterior do edifício de oito andares nenhuma janela visível aberta isso vai ser um problema em menos de uma hora no gol o tipo acima da entrada do prédio era um condor no vazado de um gato sentado numa nuvem a causa levantada formavam número 9 na globo fred era um datacenter mediano com infraestrutura compacta e dedicado quase exclusivamente ao processamento de dados financeiros privados atravessei a portaria assim ser interpelado pela linda atendente que estava com o celular e um a um palmo do rosto bem maquiado na catraca eletrônica passei o cartão a entrada foi liberada e registrado se fosse aparecer alguém com perguntas bem isso aconteceria nos próximos minutos as câmeras de vigilância que ficavam somente nos corredores me acompanhavam na central de monitoramento a minha chegada não tinha e não tinha jeito de passar despercebida a imagem do próprio homer simpson na sua estação de trabalho na usina nuclear de sprinfield se formou na minha cabeça e eu tive que sorrir como o personagem do desenho animado quem estivesse a posto agora só se mexeria se algo muito fora do comum a manter se e não seria para resolver o problema de imediato jogaria encrenca para outro funcionário aguardar um pouco mais torcendo torcendo para que tudo se resolve sem ele eu conhecia bem esse tipo de comportamento de passar muitos chamavam de dividir dividir a responsabilidade do trabalho pra outros exatamente por isso eu sabia bastante sobre o funcionamento do prédio não somente por atuar como eletricista no local havia um chefe da manutenção que para se evitar a checagem dos outros serviços do edifício ele me mandava no seu lugar e depois eu lhe passar um relatório rabiscado eu fazia o trabalho daquele prince ozu então fui fui eu adquirir noções de mecânica de elevadores sistemas hidráulicos contra incêndio o monitoramento e vigilância tipo de servidores e até pe a segurança era mais bem pedir que pessoas estranhas entrassem no local e evitar roubos de equipamentos então o seu rosto mais ou menos conhecido caminhava com determinação pelo ambiente isso não faria sua um lago de cima dos lances de escada e levantei o braço cumprimento a quem eu estava de longe mesmo não reconhecendo quem era na central e da única comecei a trabalhar eu já disse que orgulham mal uma verdade o quanto eu acompanhei a dupla de bombeiros para fiscalizar no lugar do filho da puta do carregado os dois times ficaram sem eu pedir todos os caminhos que a água corria pelos cantos do prédio os que alimentavam os banheiros e os sprinklers onde fecha o diabo e as travas de segurança o sistema de emergência falavam se alternando como professor siameses com as ferramentas apropriadas não foi difícil cortar o abastecimento de tudo e ainda em benê e os registros e válvulas travado com um rápido concerto não desliguei a bomba pressurizada que levará água para a caixa d'água então cortei o fio da tomada trifásica eu coloquei dentro da mochila para não atrair a atenção às coisas já estavam em movimento subisse em correr e foi à sessão onde estava sala de servidores normalmente eu tinha acesso àquele ambiente e se o cartão passou na entrada não ia me barrar aqui passei o cartão ea porta não abriu segunda tentativa também foi negativa estraguei a tarja magnética na camisa para limpar o que eu não aparentava é estar sujo a porta travou com barulho de sucção parecido quando se abre uma geladeira a temperatura da sala era controlada e ficava fixa em 20 graus seja no verão ou no inverno e então entrei rapidamente larguei a mochila encostado na porta dessa vez corria entre as fileiras dos servidores de dois metros de altura que piscavam resumiam procurava saber se tinha alguém se alguém tinha estava fazendo qualquer ajuste naquele momento utilizando algum ponto de acesso mas não estava o lugar estava vazio e frio voltei à minha mochila e peguei a chave de fenda e um martelo cauc com elas a entrada forçando na mínima a brecha entre o chão ea bota o fiz o mesmo fiz na saída de emergência do outro lado do salão as duas portas abriam para o centro o que era um erro estúpido do projeto na tentativa de arrombamento os calços ficariam mais filmes ainda no lugar furei as latas removedor de tinta e fui enfiando entre o emaranhado de cabos de rede dos servidores e então o líquido de amarra devagar e o cheiro dominou rapidamente o ar mas todo o plano tem uma falha em um movimento que não aconteceu no momento certo um erro de cálculo uma precipitação um passo em falso no esquecimento quando peguei o pacote de estopa vi que não tinha trazido admin os fósforos o que senti depois de revistar a mochila inutilmente não foi pânico mas fortes ânimo quando em alguma conversa atua com conhecidos o assunto das maiores invenções da humanidade vem à tona sem motivo mesmo ea maioria defendia que o carro computador eram as maravilhas máximas criadas pelo homem eu colocava outros itens muito mais importantes o conjunto vaso sanitário e papel higiênico a penicilina que foi mais um descobrimento do que uma invenção na escada de mão que facilita muito o meu trabalho ea porra da maldita caixa de fósforos tantos egos de evolução tanto refinamento para que a raça humana tivesse domínio do fogo pra que eu um incendiário suicida disgraça se essa herança em um dia se não deu certo negócio é bb abriu a garrafa de uísque e tomei um gole queimou a minha garganta que ironia do queijo provolone com o tema ou tela grossa que lembrava uma borracha de apagar que usava nos tempos da escola e por alguma razão essa associação não era gratuita a mente tem partes iniciem mas que guardam informações inúteis até se precisar delas antigamente o participar da feira de ciências do colégio onde estudava experimento se polêmicos inclusive um teve destaque no ano que eu não me lembro qual um professor de ciências permitiu a demonstração de uma tomada pegando fogo a diretoria estava apreensiva achando que os alunos poderão replicar esse em casa no laboratório o projeto apresentado tinha um botão que desligava energia coisa bem simples um circuito elétrico a tomada e dois pedaços de arame e respeitados acha de escolar branca o dispositivo era inserido na tomada liga se à corrente elétrica e algumas faíscas surgem queimando combustível claro não façam isso crianças perto da saída de emergência tinha uma tomada lacrada eu não lembrava se a fiação da lide tinha sido removido ou não os parafusos lei e rapidamente a tampa e admirei aquela tomada padrão antigo tanta tecnologia de ponta ao redor iria stock car graças a ela a tomada esquecida é claro se ainda estivesse funcionando o filme tinha que tinha cortado da da bomba da caixa d'água e o queijo que usaria para reproduzir o experimento escolar com o chumaço de estopa encharcado com o líquido para limpar pincéis debaixo da tomada a 61 efeito pirotécnico time o cuidado de usar o alicate de bico durante o procedimento e comecei a torcer para dar certo vocês não imaginam o fogo é algo lindo e hipnotizante fiquei então vidrado nas chamas que nem percebi que tinha gente tentando entrar no salão ainda utilizando alicate trouxe um chumaço com uma tocha e foi espalhando presente de prometeu nas máquinas elas aderiram roubar terão rapidamente aderiram vou me sentar no meio do corredor fumegante não sei se o indicado é tomar o medicamento antes ou depois da refeição háháhá na dúvida tobi tudo ao mesmo tempo um pedaço de queijo qualitá bebida e um comprimido alternava a ordem do que consumia eu tinha a cadência teve um começo até de chuva durante esse meu pique nique porém foi passageira as batidas na porta pareciam distantes e os gritos inofensivos não sentia mais viu nem tão-pouco contentamento gosto da cor amarela sabe uma dormência nos pés uma vontade de dulce acho que eu vou deitar um pouco descansar a visão 0 é o número engraçado não tem valor antes da vírgula dos poucos livros que guardei de memória uma passagem que dizia mais ou menos assim que solidão não é ficar sozinho mas não conseguir fazer companhia a ninguém esse foi meu último pensamento claro que passou pela minha cabeça enquanto sufocava devagar com a fumaça cada vez mais se pagará brand vaga o fim do culto [Música] o


[2936.829]
com 11 [Música]


[2946.86]



Description:
More from this creator:
Sessão Novos Escritores. Boa escrita, não curti muito o final, entretanto, vale a pena conhecer esse conto. Então, ai está.... Tragam coisas novas, que surpreendam, gosto de novidades. E se atentem a coesão textual, a falta de coesão, concordância e acentuação me faz errar diversas vezes quando narro, deixando o trabalho mais demorado. O canal abre espaço aos escritores que ainda não são conhecidos pelo grande público. Os nossos mais de sete mil inscritos merecem ouvir sua história! Mas envie no email junto com o conto falando um pouco sobre você. De onde é. quantos anos tem, como começou a escrever, como conheceu o canal... etc. Mande um email falando um pouco sobre você, de onde é, quantos anos tem, como conheceu o nosso canal e quais são suas preferências sobre gêneros literários. favaromestrado@gmail.com

Você que está chegando, esse canal tem vídeos quase diários, oferecendo uma ampla variedade de contos, de grandes escritores, já aclamados mundialmente, e outros que, assim como eu, ainda não são tão conhecidos por sua escrita. Faça parte dessa família literária, ajude a levar o pensamento literário para todos lugares. Inscreva-se, comente com amigos, ajude a divulgar. O canal conto um conto tem por finalidade expandir o conhecimento sobre literatura, democratizando o acesso, tornando-o mais atrativo. Inscreva-se! Ative o sininho e receba toda semana contos novos para ouvir onde e quando quiser. email: favaromestrado@gmail.com

Seja um padrinho do Conto um Conto, ajude a literatura a chegar a quem precisa. https://apoia.se/contoumconto

Insta: conto um conto Narrador e intérprete: Marcelo Fávaro
Disclaimer:
TranscriptionTube is a participant in the Amazon Services LLC Associates Program, an affiliate advertising program designed to provide a means for sites to earn advertising fees by advertising and linking to amazon.com
Contact:
You may contact the administrative operations team of TranscriptionTube with any inquiries here: Contact
Policy:
You may read and review our privacy policy and terms of conditions here: Policy